DTM – Distúrbios da Articulação Temporo Mandibular

A ATM é uma das mais complexas e refinadas articulações do corpo humano, sendo primariamente responsável não só pela mastigação, como também pela fala e deglutição.

Os seus componentes ainda têm importante papel no paladar e respiração.

Localizada na altura do ouvido e formada por dois ossos – a mandíbula (maxilar inferior) e o temporal (osso do crânio), seu funcionamento está associado a ossos, músculos, ligamentos e dentes.

A mandíbula articula-se com o osso temporal e, entre eles, existe um disco ou menisco envolvendo todo o conjunto, há uma cápsula articular, que, externamente, é responsável pela resistência da articulação e, internamente, é constituída por uma membrana que secreta o líquido sinovial (substância nutritiva e lubrificante para a articulação), além de diferentes ligamentos, músculos, tecidos vasculares e neurais. A função primordial dessa articulação é permitir a abertura sincronizada da boca, com movimentos de dobradiça e deslize.

Toda vez que falamos, mastigamos ou engolimos, a ATM se movimenta e a mandíbula se desloca para frente e para baixo.

A Articulação Temporo Mandibular une a mandíbula ao crânio (no osso temporal, na porção lateral da cabeça).

Se você colocar seus dedos indicadores bem à frente dos ouvidos, abrir e fechar a boca poderá perceber o movimento das articulações de cada lado da cabeça.

Devido à flexibilidade dessas articulações, a mandíbula pode ser movimentada suavemente para cima e para baixo e para os lados, permitindo que se fale, boceje e mastigue.