O que é o Ronco?

O Ronco ou ressono (ato de ressonar) é uma obstrução parcial das vias respiratórias superiores durante o sono, que pode ocorrer em razão natural do contato das paredes musculares da faringe que tem diminuição do seu tônus induzido pelo repouso e a própria perda de elasticidade que acontece com o decorrer da idade; ou decorrente de hábitos ou vícios orais e respiratórios que levam a uma retração da mandíbula tornando a passagem do ar no faringe muito pequena levando a uma obstrução nasal, acarretando um aumento do volume de secreções e produção de muco, a desvio de septo nasal, a rinites, sinusites, pólipos nasais, hiperplasia das amígdalas e adenoide hipertrófica.

Com ganho de massa gordurosa na área do  pescoço, podem agravar a movimentação muscular na inspiração bem como na expiração  com a atresia das vias aéreas e outras estruturas  na região.

Outras alterações que também podem aumentar o Ronco é a hipoplasia de mandíbula e maxila, macroglossia, queixo duplo, alterações nos ossos da face, dentes fora de posição são modificações que levam e um aspecto de face não agradável,  entre outras alterações genéticas não menos importantes para a qualidade de vida.

O sono provoca o relaxamento dos músculos do tórax, e com hábitos orais  podem  induzir a abertura involuntária da boca; como também altera a coordenação entre a contração do diafragma e dos músculos da garganta (faringe).

Quer dizer, que em repouso há diminuição do gasto energético e consequentemente do oxigênio.

O organismo se encontra em metabolismo basal, os músculos ficam todos relaxados e se tem períodos de apneia ( paradas respiratórias ) várias vezes durante o sono, e que pode se estabelecer com esta alteração a síndrome da apneia do sono.

O que acontece é que a obstrução que caracteriza o ronco, é devido ao colabamento das paredes da faringe, levando a uma hipoventilação alveolar e que tende para hipoxemia e hipercapnia, o que termina em esforço respiratório e que faz o individuo despertar, durante o qual ocorrem as contrações musculares que abrem as vias aéreas superiores, restabelecendo a respiração.

A obstrução, faz com que o ar encontre uma resistência a sua passagem, e ainda ao passar pela língua, na úvula e nas amígdalas. Por isso, vibra, ocasionando um barulho desagradável e com efeitos negativos na vida pessoal –

A obesidade também é um grande fator, principalmente no homem onde o ganho de peso é comum no pescoço, tórax e abdome, ou seja, nas partes mais superiores do corpo; ao passo que na mulher isto não é comum, localizando o ganho de peso nos quadris, coxas, seios, pernas e abdome; parte mais inferiores do corpo. E é esta gordura tóraco abdominal que atrapalha nas contrações diafragmáticas e empurra este para cima interferindo na respiração.

Por último, deve-se ficar atento ao um caso especial onde o ronco pode sugerir uma doença de neuro deficiência muscular, conhecida por garganta flácida. Nesta, há diminuição do tônus muscular da faringe, mas de ordem patológica, o que leva ao contato (colabamento) das suas paredes e ocasiona a vibração por obstrução na passagem do ar; proporcionando um  barulho chamado de ronco.